fevereiro 15, 2007


Amigos,

Achei muito feio eu ter abandonado o blog e não ter dado qualquer satisfação a vocês, que sempre me acompanharam.

Dói deletá-lo. Por isso vou deixá-lo aí. Mas não tenho pretensão de voltar a escrever em um futuro próximo. Estou em uma fase nova e feliz da minha vida e, de verdade, não me tem sobrado muito tempo.

Visitarei vocês. Obrigada pelo carinho.

=-*

Renata.
dezembro 11, 2006


Acho que o melhor do Natal é a expectativa por ele.

...


Eu gostava mais do Natal quando criança. Se bem que morria de medo de encontrar com o Papai Noel. Nem levantava à noite pra fazer xixi de tanto medo que tinha.
dezembro 07, 2006


Quando o assunto é relacionamento, tenho amigas que se julgam moderníssimas. O problema é que estão sempre quebrando a cara e vivem dizendo que nenhum homem presta.

Semana passada fomos eu, duas amigas e mais quatro amigos já a uma reuniãozinha de final de ano. Eu conversei, ri, brinquei, dancei, mas mantive minha postura. As duas em menos de meia hora se atracaram com dois dos amigos, um deles casado e com a esposa grávida.

No dia seguinte, reclamaram que não receberam um telefonema sequer. Acho que estavam esperando até rosas vermelhas.

Talvez elas não façam idéia que nossas atitudes possam determinar gestos alheios.

Eu sou careta. Mas ainda acredito em fidelidade.
dezembro 05, 2006


Hoje acabo de fazer minha primeira resolução de ano novo: criar um fundo para batidas e arranhões no carro. Hoje foi mais uma. Pelas minhas contas, é uma por ano.
E o que mais me irrita é a cara de desespero dos guardinhas*. São eles que vão pagar? São eles que vão ter que depender de quatro conduções diárias enquanto o carro estiver no conserto? Que chato!
* Só bato no estacionamento do trabalho. Ainda bem que na parede. Pior se fosse nos carros dos desembargadores! ahaha
novembro 28, 2006


Meu irmão mora em SP. Ele inventou de fazer obra no apartamento. Mas ele trabalha. Minha cunhada também. Para a casa não ficar sozinha com os pedreiros, a solução que encontraram foi levar meu pai com eles. A previsão era de que seriam quinze dias. Meu pai está lá há três semanas. Se eu o conheço bem, está doido pra voltar. Só que ele faz todas as vontades do filho. Sempre foi assim.

Finalmente a obra vai acabar amanhã. Mas minha cunhada ligou agora dizendo que resolveu mudar o piso da sala e dos quartos também e me sugeriu, se eu quiser muito a volta do meu pai, pedi-lo pra Papai Noel. Só assim, lá perto do Natal, ele estaria de volta.

Era brincadeira, é claro. Mas eu tenho esse defeito de acreditar em tudo o que me contam e antes dela começar a rir eu já estava quase chorando. Aproveitei e mandei ela chamar o próprio pai. Porque, quanto ao meu, cancelei o empréstimo.
novembro 27, 2006


Não sei me maquiar. Sempre que tento eu me acho a cara do bozo.
novembro 24, 2006


Fast food que vende feijão é, no mínimo, estranho.
novembro 23, 2006


Gosto muito dos meus amigos do trabalho. Muito mesmo. Mas confesso que às vezes adoro almoçar sozinha.
novembro 16, 2006


É, eu sumi. Sumi porque a internet não tem funcionado direito por aqui e porque às vezes eu gosto de me esconder mesmo. Se sou anti-social até com a família, posso ser aqui também! :-p

Mas eu vou muito bem, obrigada. Estou feliz. Bem feliz.

Ah... Neste meio tempo fiquei mal de saúde. Peguei uma virose que me deixou quase um mês e meio com febre diária e constante. Tirei licença médica e tudo. Em função dela, minha imunidade ficou lá em baixo e, por isso, tive uma infecção de garganta que só faltou me deixar maluca. Voltei ao trabalho nessa segunda e estou sendo paparica. Adoro paparicos, confesso.

Como não conseguia comer nada, perdi peso. Nem foi tanto assim, mas já estava bem magrinha. Aí eu cheguei hoje, lépida e faceira (meu pai usa essa expressão e eu morro de achar engraçada), e a Ana, a moça da limpeza, me olhou preocupada e perguntou se eu já estava bem mesmo. Disse que preciso engordar. Aí depois eu descobri que ela ficou impressionada com a moça anoréxica que morreu há uns dois dias. Hahaha. Logo eu, que adoro comer.
agosto 30, 2006

Pra você.

Pediu apenas que eu rezasse. Mas impossível pra mim não responder. Farei as duas coisas. Mas prometo que, quanto à resposta, aqui serei breve.
Sei exatamente o que sente. Angústia e muito medo. E o que mais precisei, quando senti isso, era conversar com quem tivesse a sensibilidade de entender a minha dor (percebeu porque impossível pra mim não responder sua mensagem?).
Não tenha dúvidas de que meu e-mail está à sua disposição quando sentir necessidade de escrever. Não sei mais qual é o seu. Por isso a resposta aqui é breve.
Por enquanto tente acreditar que tudo estará bem.
A partir de hoje ela estará em minhas preces.
julho 06, 2006

Mania

Descobri que tenho a horrorosa mania de tentar adivinhar aquilo que as pessoas estão me contando. Sempre que alguém começa a me contar uma história eu interrompo perguntando se aconteceu isso ou aquilo. Descobri que eu ia detestar conversar comigo mesma.
junho 29, 2006

Em que mundo você vive?

Minha mãe trabalha em uma escola para crianças carentes deficientes. É isso mesmo. Além de muito carentes, possuem algum nível de deficiência mental.
Esses dias ela falou que uma menininha de uns seis anos pediu que a levasse ao banheiro. Foram as duas e minha mãe percebeu que a garota estava sem calcinha. A menininha simplesmente falou que não tinha.
No dia seguinte minha mãe comprou algumas calcinhas e deu à garotinha. Ela ficou tão feliz, tão feliz, e, enquanto pulava, chegou a dizer “tia, tia! Agora já posso até ir à praia!!!”.
junho 20, 2006


Este blog está moribundo, mas não morto. :)
maio 24, 2006


Vocês pensam que eu brinco quando falo que meu pai é lindo? :-p



maio 21, 2006


Parabéns pra mim! :-)
maio 17, 2006

Músicas e recados

Já escutaram Renata, Renatinha, do João Sabiá? Fofa.

...

Insuportável aquela do Deus tava desenhando quando você tava namorando ou Deus tava namorando quando você tava desenhando, sei lá. Blergh.

...

Eudinha, amiga. Serve pedir pra você vir pra cá, mulher? Presentão.

...

ML, sua sumida! Na hora não dói nada, mas depois a orelha fica um mês doendo e você só consegue dormir de barriga pra cima. E Oddie?
abril 20, 2006


Sei que hoje é comum que os piercings se escondam em locais até então nunca antes imaginados. Mas eu me contento com menos e adorei meu segundo furo na orelha!


abril 12, 2006


Eu acho engraçado como as pessoas se curam rapidamente de seus amores. Sinceramente, acho que nunca consegui me curar totalmente de qualquer um deles. Tá... nem foram muitos assim. Dá para contar nos dedos de uma mão. Mas ainda levo comigo as dúvidas, as lembranças, os sonhos, um pouco das mágoas. Já falei aqui que minha gestação tinha que ser de uns vinte e seis meses, não? Nove meses acho que não foram suficientes para eu me sentir forte e superar sem maiores dificuldades todos os vaivens da vida. Também achava – adolescente – que muitas pessoas marcariam a minha vida de uma forma tão forte que as levaria comigo para o resto de minha vida. Hoje vejo que levarei comigo algumas pessoas para o resto de minha vida. Mas que nem são tantas assim.

Este post está meio triste, mas vou deixar para um próximo escritas mais alegres. Porque lembrei que sábado faz um ano que não encontro mais minha cachorrinha todos os dias quando chego em casa. Considerando o tamanho da saudade, parece que foi ontem.

março 15, 2006


Há alguns dias eu olhei pro meu pai e vi um homem já envelhecido. Isso deixou meu coração tão pequeno.


Certas músicas nos remetem a determinadas pessoas. Marisa Monte definitivamente me remete a determinado moço! =-p

Ainda não comprei os cds. Devem ser bons.
março 13, 2006

Tosco

A Lu sempre me fala de um amigo mulherengo e as aventuras amorosas dele. O cara é um safado. Aí ele veio aqui no trabalho e ficou cheio de graça pro meu lado. Vejam só o diálogo quando ele estava indo embora:

Eu: - Prazer te conhecer, Fulano.
Fulano: - Ah, Renatinhaaaaaa... Agora é só satisfação, né? Por que a gente não deixa o prazer pra mais tarde?

Eu avisei que era tosco.
fevereiro 22, 2006


Estava na rua ontem na hora da tempestade. Cheguei próximo de casa e minha rua estava com muuuuuuita água. Fiquei com medo do carro não conseguir passar. Parei antes da parte alagada e liguei pro meu pai e pedi pra ele abrir o portão. Tomei coragem e acelerei. O carro começou a falhar. Entrei em pânico pensando que o carro fosse parar no meio da rua. Passei a primeira, virei pra subir na garagem, acelerei um monte e acabei com o carro. Vi a cara de desespero do meu pai. Ele soltou um “como você conseguiu isso?”. Fiquei irritada com ele. TPM. Peguei minha bolsa, a bolsa da academia, o casaco, o caderno e as chaves. Quis passar direto pra subir pro meu quarto e nem olhar pro estrago. Pisei no piso molhado e escorreguei. Caí de bunda no chão com minha bolsa, a bolsa da academia, o casaco, o caderno e as chaves. Fiquei lá. Abri o berreiro.
fevereiro 21, 2006


O Bono é um fofo. Queria que ele fosse da minha família, um vizinho ou um amigo só pra poder conversar coisas bobas com ele.

Quase chorei em Original of the Species.
Chorei em Miss Sarajevo.
Chorei em One.
fevereiro 09, 2006


Estive de férias. Por isso o abandono dos blogs – meu e de vocês. ;)

Mas as aulas de sábado continuam. E, acreditem, eu me divirto um monte nelas.

Tem um coroa que vai de bermudão, havaianas, cheio de tatuagens tribais e fica a aula inteira com os óculos escuros na testa. É. Na testa.

Sábado passado, no meio da aula, o professor quis dar um exemplo com uma pessoa e perguntou o nome de um aluno:

- (...) Você, por exemplo. Qual o seu nome?
- Odilan?
- Od o quê???
- Odilan...
- Ah... Tu não tem apelido não, cara?

E ficou o resto da aula chamando o sujeito de Lan.
janeiro 27, 2006

Bem que podia - II

Como saber se fiz realmente o que deveria ter sido feito? Bem que poderia vir alguém ao meu encontro, com um sorriso de orelha a orelha, desse um tapinha nas minhas costas e colocasse uma medalha de ouro no meu pescoço, parabenizando-me pela decisão acertada.

Certezas...
janeiro 18, 2006

Bem que podia

As coisas boas e más deviam ter rótulos claros. Com letras vermelhas, fonte 16 e em caps lock. Podia, também, uma música sinistra começar a tocar no exato instante em que o vilão surgisse em nosso campo de visão, de modo a não se poder confundi-lo com o mocinho.
janeiro 16, 2006


Mamãe me ensinou que é feio desejar o mal a outras pessoas. To fazendo um exercício muito intenso pra não desejar que quem fez isso com esses cachorrinhos se estabaque no meio da Presidente Vargas.



janeiro 12, 2006


1) Em outubro/2005



2) Em dezembro/2005


Viram só a evolução da moça! =p


janeiro 04, 2006


Leveza, serenidade, sonhos, realidade, amor, crescimento, aprendizagem, abraços apertados, reconhecimento, palavras bonitas, cafuné, saúde, quintal gramado, bichinho de estimação, flores coloridas, suspiros.
Pra mim e pra você. ;)


Essa passagem de ano foi um tanto dolorosa porque exatamente no dia 31/12/2004 minha Menina começou a manifestar a doença que a levou pro céu dos cachorrinhos. Mesmo tentando, não consegui desviar os pensamentos e deixar de lembrar. Ela faz tanta falta.
dezembro 28, 2005


Passei o Natal com a família e isto já rende nota 10 pra ele. Na tardinha do dia 25 viemos para SP para que continuássemos todos juntos na passagem de ano.
Mas desloquei o ombro e acabei indo parar no ortopedista e me enchendo de remédio pra parar de doer. E isso tá me deixando enjoada, enjoada... sinto saudade de casa, da minha cama, do meu travesseiro e até do meu quarto bagunçado.
Prometo que logo passa.
...
Um 2006 com tudo de mais bonito que possa lhe acontecer! ;)
dezembro 19, 2005


Eu sempre acreditei em muitos sentimentos. Não dava a mínima quando me chamavam de ingênua ou quando me avisavam que a realidade era um pouco mais cruel que minhas verdades. Já ouvi que sou boba, que vivo num mundo de sonhos e que as pessoas são más. Muito más. E não é que de repente eu encasquetei que eu era mesmo uma boba e que certas coisas só existem em filme de Hollywood? Mas fiquei triste e desacreditei das pessoas. E hoje queria muito re-acreditar em tudo aquilo.



Sentimentos... E só! de antes
Baiano
Confissões da Mulher X
Expressões Digitais
Febre de Sentir
Femme Sapiens
Ilvia no País das Maravilhas
Le-ri-bi
Like a Fool...
Miss Lexotan 6mg
Mulé é um Bicho Burro Mermo
No Silêncio das Palavras
O Sonho Não Acabou
Retrato em Branco e Preto
Sorriso Lexotan
Tanto clichê




  •  Amigos, Achei muito feio eu ter abandonado o blog...
  •  Acho que o melhor do Natal é a expectativa por ele...
  •  Quando o assunto é relacionamento, tenho amigas qu...
  •  Hoje acabo de fazer minha primeira resolução de an...
  •  Meu irmão mora em SP. Ele inventou de fazer obra n...
  •  Não sei me maquiar. Sempre que tento eu me acho a ...
  •  Fast food que vende feijão é, no mínimo, estranho....
  •  Gosto muito dos meus amigos do trabalho. Muito mes...
  •  É, eu sumi. Sumi porque a internet não tem funcion...
  •  Pra você.




  •  Julho 2004


  •  Agosto 2004


  •  Setembro 2004


  •  Outubro 2004


  •  Novembro 2004


  •  Dezembro 2004


  •  Janeiro 2005


  •  Fevereiro 2005


  •  Março 2005


  •  Abril 2005


  •  Maio 2005


  •  Junho 2005


  •  Julho 2005


  •  Agosto 2005


  •  Setembro 2005


  •  Outubro 2005


  •  Novembro 2005


  •  Dezembro 2005


  •  Janeiro 2006


  •  Fevereiro 2006


  •  Março 2006


  •  Abril 2006


  •  Maio 2006


  •  Junho 2006


  •  Julho 2006


  •  Agosto 2006


  •  Novembro 2006


  •  Dezembro 2006


  •  Fevereiro 2007




  • rerope@terra.com.br

    Site Meter

     
    Copyright © 2003-2004. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução.